Vidro temperado ou laminado para envidraçamento de sacadas?

Vidro temperado ou laminado para envidraçamento de sacadas?

Vidro temperado ou laminado para envidraçamento de sacadas?

Na Europa, quando falamos em envidraçamento de terraços, varandas e ambientes, utilizando vidros móveis, os projetos são unânimes, o vidro escolhido é o temperado.  Em outros países na América também, até na Turquia e China a resposta é o vidro temperado. Em quase todo o território brasileiro a resposta é a mesma, o vidro temperado é o escolhido para esse tipo de aplicação.

No entanto em São Paulo os fornecedores se dividem. As empresas mais rigorosas, que exigem segurança em primeiro lugar recomendam sem hesitar o vidro temperado como opção correta para o envidraçamento de sacadas, porém outras recomendam ferozmente o vidro laminado, afirmando que não ocorrerão problemas com o sistema.

Por que em São Paulo as opiniões se divergem? Qual a diferença de um tipo de vidro e do outro? Qual é de fato o material seguro para esse tipo de aplicação? O que a Norma NBR 16259 (normas padrões para Sistemas de Envidraçamento de Sacadas) recomenda? Como podemos averiguar qual é o correto para nosso apartamento? Esclareça definitivamente todas as suas dúvidas sobre esse tema.

O vidro temperado

O temperado é um vidro de segurança, que é submetido a um tratamento térmico chamado de têmpera, a temperaturas entre 650 e 700 °C, recebendo logo após jatos de ar provocando um choque térmico, aumentando consideravelmente sua resistência mecânica e dureza tornando-o seis vezes mais resistente que o vidro comum laminado.  Devido a sua resistência é freqüentemente utilizado nas janelas dos carros, utensílios de cozinha como panelas, pratos e copos, além de portas, vitrines, painéis deslizantes, sistemas de envidraçamento de sacadas, etc.

No envidraçamento de sacadas, para aumentar ainda mais a segurança é comum se utilizar uma película de segurança incolor, apesar de ser opcional, muitas empresas oferecem o produto, pois em caso de quebra do vidro, a película segura os estilhaços. Além disso, a película ainda bloqueia 98% dos raios ultravioleta, que são nocivos a nossa pele,  protegendo os móveis do ambiente.

O vidro laminado

O laminado é um vidro de segurança, composto por duas ou mais placas de vidro comum, que são unidas por uma ou mais camadas de polivinil butiral (PVB) ou resina. Quando quebrado, os estilhaços ficam presos nessa camada intermediária. É freqüentemente utilizado no pára-brisas de carros e em fachadas que possuem perfis de alumínio protegendo todo o vidro, pois qualquer pequeno impacto pode quebrá-lo. Possui baixos índices de resistência a flexão, impactos e diferenças bruscas de temperatura, devido a baixa resistência mecânica não é recomendado para envidraçamento de sacadas em regiões que possuem ventos fortes, como São Paulo e região Sul do País.

O que a Norma NBR 16259 diz a respeito?

De acordo com o item 5.1 da Norma NBR 16259, se o sistema utilizar painéis em vidro, o mesmo deve ser em vidro de segurança temperado ou vidro de segurança laminado, e logo em seguida observa-se um parágrafo muito importante que vamos reproduzi-lo na íntegra:

“O tipo de vidro deve atender aos valores de pressão de vento e os critérios estabelecidos para cada região do País aonde o sistema será instalado, conforme estabelecido no item 5.6 e avaliado visualmente por meio de sua ruptura”.

O item 5.6 aborda a resistência a cargas uniformemente distribuídas, ou seja, pressão de ventos que incidirá no sistema.

Nesse item existe uma tabela aonde se observa em que região o edifício se localiza e a altura do mesmo.  Se observarmos São Paulo, notamos que encontra-se parte na Região 4 e parte na Região 3, considerando um edifício de 25 andares, que  é a realidade de grande parte dos edifícios na Capital, verificamos que a pressão de segurança que o equipamento, juntamente com o vidro escolhido, deve suportar é de 2210 Pascais.

Ensaio de equipamento utilizando cada tipo de vidro:

- Sistema utilizando vidro Temperado 10 mm: suporta pressões de vento superiores a 3000 Pascais, ou seja, atende com folga as exigências da Norma.

- Sistema utilizando vidro Laminado comum 5+5 mm: suporta pressões de vento de até 1100 Pascais, ou seja, não atende a Norma, sendo reprovado no Ensaio para a região de São Paulo.

Tipo de vidro

Pressão de vento mínima necessária

Pressão de vento que  cada vidro suporta

Conclusão

Vidro temperado 10 mm

2210 Pascais

Acima de 3000 Pascais

Atende a NBR

Vidro laminado 5+5 mm

Até 1100 Pascais

Não atende a NBR

 

De acordo com a Norma, após a realização desse ensaio, o sistema ainda deve ser submetido ao item 5.7.2, Ensaio de Impacto de corpo mole:

- Sistema com vidro temperado: atende as exigências da Norma, resistindo tranqüilamente ao impacto.

- Vidro laminado: se quebra, não atende os requisitos mínimos de segurança necessários.

Conclusão: na utilização do vidro para Envidraçamento de Sacadas, o recomendado é o vidro temperado sem sombra de dúvidas!

 

É importante mencionar que o vidro laminado é um excelente produto e tem diversas aplicações, mas estamos abordando aqui a utilização especifica para o envidraçamento de sacadas, na região de São Paulo, e nessa situação percebemos que o mesmo não é adequado por questões de segurança.  Em outras regiões que possuem ventos mais fracos é possível a utilização deste tipo de vidro em edifícios com poucos andares sem maiores problemas.

 

Se já existem todos os testes e análises sobre o melhor tipo de vidro para o envidraçamento, por que alguns usam o vidro errado?

Perguntando abertamente para alguns fornecedores, percebemos que isso passou a ser uma questão totalmente comercial, fornecedores que já trabalhavam com vidro laminado em São Paulo há alguns anos, simplesmente  começaram a vender esse produto para esse tipo de aplicação dizendo que era uma novidade positiva, porém quando questionamos em relação aos Ensaios necessários, dizem que possuem, quando pedimos para verificar desconversam ou acabam mostrando ensaios reprovados. No entanto, como o leigo não entende o conteúdo do Ensaio, o fato do fornecedor não ter um ensaio não significa que seu produto está aprovado. Pelo contrário, em pesquisas com o Laboratório Falcão Bauer, verificamos que poucos passam nos testes!

Então por que existem tantos fornecedores no mercado se poucos passaram no teste?  Perguntamos a uma das empresas que possuía o produto reprovado, e o diretor afirmou o seguinte: “Temos que trabalhar, não vai dar nenhum problema, tenho que vender o meu peixe e ganhar o meu dindin honestamente”. Outros afirmam que o vidro laminado é mais fácil de trabalhar e pode ser cortado a qualquer momento. “Se errarmos a dimensão podemos ajustá-lo, o que não é possível com o temperado, pois após o processo de têmpera, não se pode mais modificá-lo” afirma o Sr. Francisco, outro fornecedor do segmento.

Verificamos ainda que várias dessas empresas estão elaborando projetos para condomínios colocando na especificação técnica a utilização do vidro laminado para o envidraçamento de sacadas, prática que,  após a realização desse estudo, é totalmente irregular, pois estão induzindo os condomínios ao erro, dando um suporte técnico de forma errada, se opondo aos dizeres da NBR 16259. Portanto, é muito importante fazer esse tipo de trabalho com empresas que acima dos interesses comerciais se preocupem de fato com a segurança dos moradores.

Conclusão Final: o vidro adequado para Envidraçamento de Sacadas é o TEMPERADO

 

“Em janeiro de 2015 ocorreram chuvas com fortes ventos na Capital de São Paulo, e por conta disso recebemos vários pedidos para troca de vidros laminados quebrados” afirma Daniel Gustavo, diretor da Apoio, que faz conserto e manutenção de Sacadas de todas as marcas do mercado. Vide foto.

varanda_quebrada-vento“Assim que a construtora entregou o condomínio, na 2a assembléia recebemos a indicação da administradora de uma empresa para fazer um projeto técnico de envidraçamento, bem como realizar uma apresentação no dia da assembleia. Pensávamos que devido a essa indicação poderíamos ficar tranquilos. No entanto, no dia seguinte liguei para três empresas para obter orçamentos. As três questionaram porque tínhamos colocado na especificação o vidro laminado, alegando que não era seguro. Através de um levantamento entendemos  que fomos induzidos por um fornecedor que só faz sacada com vidros laminados. Agendamos  uma nova assembleia, na qual contamos com a colaboração do Sr. Rodrigo Belarmino, arquiteto e diretor da Solid Systems, que realizou  uma apresentação abordando todas as questões técnicas  referentes ao assunto. Após as explicações todos votaram a favor da correção da Ata que agora apresenta corretamente o projeto em relação ao tipo de vidro para adequado: vidro temperado! “Foi um alívio!” afirma a Sra Regina, moradora de condomínio no Ipiranga.

 

Colaboraram para esta matéria:

rodrigo solid

 

Rodrigo Belarmino – Arquiteto formado pela Universidade de Mogi das Cruzes e pós-graduado em administração de empresas pela FIA-USP (Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo). É diretor da Solid Systems – Envidraçamento Premium e coordenador da Norma nº16259/2014 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

 

 

 

 

 

Sandra Arvage, jornalista e diretora da GRC Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>